Folclore: Do Minho ao Algarve e dos Açores à Madeira!

Como todos sabem o folclore é a máxima expressão de um povo, nele traduzem-se as belezas locais desse povo em todos os tempos, ele é a expressão máxima de cultura de origem popular. O seu nome vem da expressão vocabular da língua inglesa “folk e lore”, que na nossa língua as palavras foram ligadas.

Folclore no pensamento das pessoas passou a ser a referência às tradições, aos costumes, superstições e principalmente à música regional ou total de um povo.

Em Portugal, com certeza é uma das maiores artes mundiais, uma vez que, de norte a sul e nas ilhas, ele é feito com a maior arte musical, nas danças e músicas folclóricas, sendo que, no Brasil, trazido pelos emigrantes portugueses, tem a sua beleza mostrada em centenas de casas e de entidades representativas das coisas do Portugal eterno. O folclore brasileiro guarda no seu íntimo as artes portuguesas, como as danças gaúchas, no nordeste, no interior paulista, no mineiro e no goiano.

Para preservar essa magistral arte, existe em Portugal uma Federação de Folclore, que embora restrinja executar músicas de outras partes do Portugal, faz com que pelo menos alguma região só toque e execute danças e músicas locais, como é o caso da “Região de Arouca”, onde em São Paulo temos o magistral Rancho Folclórico Arouca São Paulo Clube e no Rio de Janeiro o majestoso Rancho Folclórico Arouca Barra Clube, os dois possuindo excelentes clubes sociais, todavia, as outras entidades mostram o folclore em todas as regiões de Portugal, na Ilha da Madeira e nos Açores, porquanto, os assistentes imigrantes, os lusos descendentes são oriundos de várias regiões de Portugal e assim sendo as tocatas tocam músicas de todas as regiões de Portugal.

No Estado de São Paulo, conservando a tradição folclórica portuguesa, temos o Centro Trasmontano de São Paulo, sempre dando as suas magistrais noitadas folclóricas no 1º sábado de cada mês, nas quais os assistentes além do famoso “bacalhau”, podem dançar por várias horas; a Casa de Portugal de São Paulo, com seu magnífico salão, que além do folclore nos dá também apresentação de cantores e noitadas maravilhosas; a Portuguesa de Desportes, sempre no 2º sábado de cada mês com a sua fantástica noitada folclórica, com o seu magistral Rancho Folclórico e a farta mesa portuguesa; a Casa da Ilha da Madeira; a Casa dos Açores; e o fantástico Rancho Folclórico ” Pedro Homem de Melo” da Igreja N.Senhora de Fátima no bairro do Sumaré; o Casa Cultural Império do Minho; a Casa de Brunhosinho no bairro de São Miguel e enfim outros grupos folclóricos, que com certeza não caberiam uma listagem completa, uma vez que temos na cidade de Santos várias Entidades, na Praia Grande a Casa de Portugal, como temos em Campinas e em Fernandópolis as suas “Casas de Portugal”, no interior do Estado de São Paulo.

Em Portugal, praticamente em todas as regiões e distritos temos os seus grupos e ranchos folclóricos, que também não caberiam numa listagem fabulosa, porém, podemos destacar alguns para conhecimento, como “Grupo Folclórico das Lavradeiras da Meadela, do Porto, o Rancho Folclórico do Douro Litoral também do Porto, o Rancho Folclórico de Zebreiros de Gondomar, Rancho Folclórico da Correlhã de Ponte de Lima, no Minho, o Grupo Etnográfico de Terras de Cambra.

Alguns desses Ranchos já estiveram no Brasil, em São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro, como o das Lavradeiras da Meadala, com amplo sucesso geral e todos esses ranchos gravam cds. ou dvds, que enaltecem a música folclórica de Portugal e no Brasil, como podemos citar um elaborado em Portugal, com o título de “Folclore de Portugal, do Minho aos Açores” com grande número de músicas de Ranchos Folclóricos, como a saber: Rancho Folclórico de Santa Maria de Portuzelo, de Milhares, de Região de Leiria, Cantarinha de Barros, de Silvares, de Gouveia, da Ribeiro de Santarém, Típico e Regional da Boavista, de Fuzeta, de Doze Ribeiras, de Poveiro, Mirandês de Duas Igrejas, enfim um relação fantástica de Ranchos, Grupos e todos imbuídos em mostrar a beleza folclórica musical de Portugal.

Além das exibições desses fantásticos grupos e ranchos folclóricos, eles nos mostram as mais lindas musicas feitas em Portugal, nas chulas, nos corridinhos, nos viras, como exemplos: Vira de Nazaré, Vira da Fronteira, Vira Aldeia de São Francisco, Corridinho ao por do Sol, Senhor da Serra, Farrapeira, Farraperinha, etc.

Hoje em dia com a facilidade de obter-se cds e dvds, podemos descortinar todos esses magistrais Ranchos e Grupos Folclóricos e podemos apreciar sempre essas músicas originarias das mais variadas regiões de Portugal, para honra e glória do nosso querido e eterno Portugal.

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend