Ciclo dos Países de Língua Portuguesa: República de Angola

angola_bandeiraAngola como todos nós sabemos trata-se de um magnífico país pertencente à ÁFRICA, e no decorrer do tempo, evidentemente como em outras partes do mundo, teve uma história particular, singular, que tão somente os seus naturais e habitantes podem florir ou puderam no decorrer de séculos sem fim.
As pessoas desde mundo que se interessam pela história sabem perfeitamente pelos escritos históricos de acontecimentos que datam mais ou menos em 5 milênios, embora o nosso mundo venha de milhões, bilhões de séculos sem fim, obra da DIVINA PROVIDÊNCIA, e que nós pequenos pontos do Universo temos pouco conhecimento.
Desde o tempo dos CELTAS, GODOS, VISIGODOS, ÁLAMOS, ROMANOS E MOUROS, povos naturalmente viajantes, rodavam a Europa com a finalidade de acomodarem-se em regiões de melhores alimentações e naturalmente conquistavam essas regiões, uma vez que possuíam condições melhores de domínio em razão das suas forças militares ao encontro com esses povos. E assim sendo, do centro da Europa invadiam esses povos, no entanto, se fizermos uma análise, como povos mais desenvolvidos culturalmente costumavam-se a ficar nas suas regiões e não voltando aos seus lugares naturais e como terminando a Península Ibérica e em frente o Oceano Atlântico, ali ficavam para sempre.
Na “Lusitânia” esses todos povos ali permaneceram também, e acantonaram-se por ali, levando as suas culturas as suas artes, os seus conhecimentos aos povos existentes nessas regiões e com bastante louvor enriqueceram os povos da Península Ibérica, a Lusitânia desenvolveu-se nessa passagem desses povos e dali para a frente enturmaram-se sempre com os povos dominadores, e dessa fusão, acabou surgindo o nosso Querido e Eterno PORTUGAL.
Da mesma forma, após o surgimento do PORTUGAL e da ESPANHA, os navegadores portugueses aportaram também na ÁFRICA, muitos com o intuito de adquirir frutas, árvores, plantas, prata, ouro e outras espécies, e com isso todos os povos da era Europeia do 1º milênio acabavam conquistando tribos e países africanos, haja vista a quantidade de países hoje formados da nossa Língua Portuguesa, Inglesa, Holandesa, alemã, etc..
ANGOLA, um país maravilhoso, bordado pelas águas do Atlântico não fugiu à regra, e nela foi introduzida a LINGUA PORTUGUESA, e como todos sabem também permaneceu por ali sua Língua Original, e hoje após proclamarem a sua independência, estão na CPLP dos “8 Países de Língua Portuguesa”.
Esse maravilhoso país oficialmente tem o nome de “REPÚBLICA DE ANGOLA”, e fica na costa ocidental de África, tendo como fronteiras ao norte e nordeste a República do Congo, a leste pela Zâmbia, ao sul pela Namíbia e a oeste pelo Oceano Atlântico e bem como, possui um enclave fora de seu território que tem o nome de CABINDA, e que tem fronteiras com o Congo. Em seus nomes mais variados a República de Angola para o seu povo é “REPUBILIKA YA NGOLA”.
Desde o século das grandes navegações portuguesas, ou seja no século 15, Portugal ficou soberano em ANGOLA até a metade do século 20, quando ouve a Revolução dos Cravos, que deu liberdade política à ANGOLA, e tem a glória de pertencer à Comunidade da Língua Portuguesa.
Angola tem um território em torno de sua área em 1.246.700 km2, uma população variada de 20 milhões de habitantes, a sua Capital é LUANDA (São Paulo de Luanda), a língua é o PORTUGUÊS e o BANTO. Portanto, nós temos a glória de ter como nação irmã um país da categoria territorial e populacional enorme e que faz parte mental da nossa querida e eterna Língua Portuguesa, para glória eterna do nosso querido PORTUGAL.

 

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend