Alto Minho: Uma das mais lindas regiões do eterno Portugal

Quem vai a Portugal jamais poderá deixar de visitar o Alto Minho, uma região das mais lindas do nosso querido e eterno Portugal. Fica ali na Costa Verde, perto da Espanha, e onde todos irão desfrutar de uma verdadeira maravilha em termos de cidades, vilas, aldeias e um povo muito maravilhoso.
Uma região imensamente histórica do Portugal antigo, formada há séculos pelos lusitanos que herdaram dos Celtas, dos Romanos, dos Mouros, dos lusitanos arcaicos e que os portugueses desfrutam dessa beleza maravilhosa nos dias de hoje. Região imensamente histórica, com castelos, igrejas, parques, santuários, monumentos e onde azulejos dos mais lindos mundialmente conhecidos ali são vistos.
Cidades maravilhosas como Barcelos, Viana do Castelo, Ponte de Lima são cartões de visita para qualquer turista, e em toda essa região, desde as beiradas de Valença, de Monção até Barcelos, encontramos vilas, aldeias e cidades maravilhosas, que podemos citar como verdadeiros presentes aos portugueses, luso-brasileiros e estrangeiros que por ali passam ou vão conhecer a região.
Um grande número de cidades, vilas, aldeias como: Barcelos, Esposende/Ofir, Viana do Castelo, Vila Praia de Ancora, Moledo, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença, Monção, Melgaço, Paredes de Coura, Arcos de Valdevez, Lindoso, Ponte de Barca, Ponte de Lima, Terras de Bouro e Gerês, espraiadas por toda a região do Alto Minho.
Em Barcelos, uma das mais lindas cidades do Norte de Portugal, encontramos centenas de monumentos, como o Cruzeiro da Lenda do Galo, Igreja Matriz e Museu Arqueológico, Paços dos Condes e Ponte Medieval, Pelourinho e Paço dos Cones, Torre da Porta Nova, Torre Abade e Neiva, Câmara Municipal, Chafariz Campo da Feira, Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz e outros tantos locais maravilhosos.
Lá também encontramos a riqueza do “Artesanato”, que é reconhecido mundialmente como um parâmetro da beleza incomparável da arte do artesanato, em todos tipos de confecções, como vasos, brinquedos, chaveiros, imagens de Santos, tipos de aldeões, e na tecelagem os mais variados “xailes”, blusas, saias, em cores variadas ou cinzas e pretas e sendo portanto, Barcelos considerada a Capital do Artesanato, uma região espetacular com a sua Feira semanal, é uma zona industrial e também de agricultura, ele é o maior município de Portugal, contendo 89 Freguesias.
Ali em Barcelos se deu a famosa história do “Galo de Barcelos”, que até pode ser mitológica, porém, acontecimentos se deram, em que um prisioneiro ao ser interrogado pelo Juiz, disse que não era culpado da acusação e no enforcamento um galo pronto para ser distrinchado iria cantar e provaria a sua inocência, e o fato aconteceu, e hoje milhares de bonecos são vendidos como o Galo de Barcelos.
O Alto Minho é uma das mais antigas regiões do Norte de Portugal e está à beira do Baixo/Minho e Douro Litoral. Um dos mais bonitos locais para ser visto é a Serra D’Arga que fica a quase 900 metros de altura.
Nas minhas andanças por Portugal, estive também em Viana do Castelo, espetacular cidade, maravilhosa em todos sentidos, onde me hospedei e dali conheci toda região do Alto Minho, fui à Espanha em Santiago de Compostela, passando pela maravilhosa cidade fronteiriça de Valença, vi Vila Nova de Cerdeira, Caminha, Monção e em todos os monumentos espetaculares de um passado maravilhoso, e como é difícil falar de todas as regiões do Alto Minho, fica sempre a lembrança desses lugares, de suas povoações gentis, a imagem das igrejas seculares, das pontes, dos castelos, enfim só quem teve a felicidade de poder ver, poder filmar, poder fotografar como eu fiz, que cheguei a tirar 800 fotos e quando revejo esses lugares por onde passei, uma emoção grande se apossa do meu coração.
Nessas viagens sempre vemos também o presente, onde Portugal tornou-se um país extremamente moderno, construções mais modernas são feitas, represas, estradas modernas, toda a perspectiva de um país moderno, que por obra dos maravilhosos portugueses do passado, hoje desfrutamos de verdadeiras obras de arte, desde as construções dos Celtas, dos Romanos e Mouros, conservadas religiosamente por esse povo maravilhoso, do qual eu tenho a honra de ser descendente.

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend