Alguns paraísos em Portugal: Lisboa, Mafra, Sintra e Fátima

Se existir o “paraíso” na Terra, certamente além de inúmeras cidades portuguesas, podemos citar quatro delas, Lisboa, Mafra, Sintra e Fátima.
Quem já um dia passou por elas sabe perfeitamente o que eu quero expressar, são cidades fantásticas que guardam uma beleza inconteste de um passado maravilhoso e que os portugueses as guardam no coração, e que os visitantes, tanto os próprios portugueses como os luso-descendentes e pessoas de outras nacionalidades, turistas as visitam e saem de lá verdadeiramente encantados com tantas belezas.
Em LISBOA, que herdou o nome grego de “Ulisses” (ulisbon) de eras gregas, por uns 7000 anos, quando os gregos fixaram-se no litoral português e que depois passou por inúmeras eras, como a “romana” que a transformou no maior “município romano” de todos tempos, onde as mercadorias eram enviadas para Roma pelas galés e produtos do trabalho das quotas exigidas pelos romanos aos lusitanos, depois pelos “mouros” que vieram da África, da Mauritânia e Marrocos e expulsaram os romanos e construíram castelos, pontes, estradas e deixaram um patrimônio espetacular para que nós neste futuro pudéssemos apreciar.
Lá nessa cidade maravilhosa de Lisboa, enveredando pela “Baixa” encontramos o Castelo de São Jorge, uma obra espetacular donde se avista a Lisboa praticamente inteira e não há quem resista a essa visão, passear pela Alfama um lindo bairro tradicional lisboeta, ir ver o museu dos Coches, veículos de eras passadas, coisa maravilhosa, ver uma obra fantástica de tantos séculos atrás como o Mosteiro dos Jerônimos, pelo qual ficamos estarrecidos com tanta perfeição, apreciar a Torre de Belém, de onde os magistrais navegantes iam pelo mundo afora para as grandes viagens.
Entrar em palácios maravilhosos, como o da ” Ajuda” , o de ” Queluz” dos Reis e seus jardins, o Palácio Real, as cidades em redor como Estoril e seu cassino incrível, Cascais e enfim apreciar tantas outras maravilhas que essa terra ímpar nos oferece, Lisboa de frente para o mar convidando todos povos europeus e africanos a verem a maravilha lisboeta que vem de séculos e vai para séculos eternos sem fim.
As suas avenidas todas enfeitadas de um arvoredo maravilhoso, ver ainda os elétricos (bondes), amarelinhos percorrendo as antigas vias, nos traz uma saudade enorme de tempos passados, bem como, ao final de qualquer dia ir ouvir as guitarras, ouvir o cantar do fado lindo numa casa como da “Severa”, é realmente pensar estamos no “paraíso” não há como negar e qualquer visitante poderá declamar qualquer verso, ou dizendo “Eu Vi Lisboa, eu Vi o Céu”.
Em MAFRA, cidade milenar onde existe a famosa universidade feita pelos mouros, belíssima estrutura, visitar a famosa praia de Ericera, tanto a praia lindíssima como a aldeia de pescadores, a sua Basílica é monumental, estratosférica para a visão do visitante, qualquer visitante sai dali eletrizado e sempre pensando em retornar a essa cidade fantástica.
Em SINTRA, não existem palavras para se falar, ela é monumental, tudo ali é por demais lindo, seus castelos, suas ruas, seus montes, seus restaurantes, seus bares, seu Centro Histórico da Vila, Palácio Real, Palácio Nacional, tudo é uma verdadeira maravilha, o encantamento é geral, visões jamais vistas em passeios, tudo ali é um constante encantar.
EM FÁTIMA, não existem mais palavras a dizer, do que a beleza sensacional desse lugar sagrado para os católicos, a visita ao seu Santuário é uma coisa por demais emocionante. Assistir ali a uma missa é uma coisa verdadeiramente edificante. Quando o cidadão visita Fátima, a emoção é gratificante, saber que ali “Nossa Senhora” esteve presente, é algo verdadeiramente fantástico e que o povo português, pela sua religiosidade, venera a cidade de Fátima. O cidadão que se propõe a ir até Portugal nunca deixa de colocar em seu roteiro a cidade de Fátima e o seu Santuário maravilhoso.
Portanto, creio firmemente que essas quatro cidades fazem parte do “paraíso Lusitano” que tanto nos traz orgulho, a todos nós portugueses e luso-descendentes, para honra e glória do nosso eterno PORTUGAL.

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend