A Cultura Lusitana/Portuguesa advinda de Eras e Eras e suas consequências

Por Adriano Augusto da Costa Filho

De acordo com os acontecimentos históricos de “Eras e Eras” lusitanas/Portuguesas, “A Lusitânia” na sua formação inicial foi invadida por inúmeros povos vindos do Centro da Europa e temos os Celtas, Godos, Visigodos, Álamos, Romanos, e Mouros, estes vindos da África, enfim outras raças e tudo isso se deu em milhares de anos e naturalmente naqueles tempos remotos, cada povo no seu contexto próprio e isso juntado tudo, com certeza, criou o maravilhoso povo lusitano/português, vindo dessas ERAS MARAVILHOSAS.
Se nos basearmos em datas, veremos que existe uma verdadeira confusão, uma vez que antes do “Império Romano” existia o “Calendário Africano”, que era composto por 7 meses, e sendo uma Era da Bíblia Sagrada, as épocas corriam mais depressa, como também as idades dos seres humanos, razão pela qual a própria Bíblia dava as idades humanas com anos em torno de 200, 300 ou mais anos para as figuras históricas e religiosas dessas épocas.
Ao surgir o Império Romano, o calendário foi modificado e Júlio César introduziu mais 3 meses no calendário africano, com o que baixou as idades, tanto para os seres humanos como para os países, e bem como para os acontecimentos de séculos e séculos, e já no século 16 o Papa Gregório VI adicionou mais 2 meses no antigo calendário, o Juliano e passou a vigorar o Calendário Gregoriano, no ano de 1517, o que fez com que os seres humanos diminuíssem as suas idades e bem como os acontecimentos anteriores ficassem envolvidos em diferenças grandiosas de épocas.
Com tantos acontecimentos históricos, invasões, culturas diferentes, no ajuntamento natural das existências, veio tudo em séculos e séculos para a chegada do nosso Portugal eterno, fluído desse emaranhado de raças e culturas, como dos Celtas com a sua cultura, dos Romanos com a sua língua, o latim, com os Mouros e sua cultura guerreira e agrícola.
Para demonstrarmos algo do que vem a ser o povo português, logicamente sob o meu ponto de vista, como um descendente direto/português de pai e mãe e com sua vontade suprema demonstrada em séculos e séculos pela glória das descobertas, da cultura, da poesia, da música, enfim vários ângulos que sacramentaram o que hoje é o Povo Português, além do sagrado território de Portugal, as mais várias regiões do Planeta, com os países de Língua Portuguesa, e bem como pelos emigrantes espalhados também nos 5 continentes do Planeta Terra.
Há 4.000 anos, com a invasão Celta na Lusitânia, os Celtas na sua cultura extraordinária deixaram para o povo lusitano uma mensagem fantástica a “ORAÇÃO CELTA”, que com certeza ficou eternamente fixada no íntimo do Povo Lusitano/Português, como seja:
“ORAÇÃO CELTA”
Que a estrada se abra à sua frente.
Que o Sól brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos…
Que um suave acalanto de acompanhe, onde estiveres.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida.
Que a música seja a tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.
Que cada passo teu fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração.
Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que em teus momentos de solidão e cansaço, esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.
QUE DEUS LHE GUARDE NAS PALMAS DE SUAS MÃOS
Ditado Celta: “VIVERÁS CEM ANOS E MAIS UM PARA ARREPENDER-TE”
Por Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend