Presidente do PSD Leiria demite-se por discordar da lista às eleições legislativas

Da Redação
Com Lusa

O presidente da Comissão Política Distrital (CPD) do PSD de Leiria demitiu-se do cargo e de vogal da Comissão Política Nacional por discordar da lista às eleições legislativas, segundo Jornal de Leiria.

A decisão foi comunicada numa reunião da comissão permanente, na quarta-feira à noite, aos militantes de Leiria e, nesta quinta-feira, Rui Rocha informou o secretário-geral do PSD da sua saída.

Segundo explicou à Lusa, a demissão é consequência do processo de elaboração de listas de candidatos à Assembleia da República nas eleições legislativas de 06 de outubro.

“Entendo que o processo não foi bem conduzido e que foi uma desconsideração para com o PSD de Leiria, sendo que o resultado final da lista não representa a proposta da Comissão Política Distrital de Leiria”, adiantou.

Rui Rocha considerou que a lista aprovada deixa o PSD “bastante condicionado” pelas duas propostas nacionais: Margarida Balseiro Lopes, presidente da JSD, e Pedro Roque, secretário-geral dos Trabalhadores Sociais-Democratas.

“Se aceito que a cabeça de lista, Margarida Balseiro Lopes, que é até do nosso distrito, pudesse ser uma exceção positiva, porque o presidente entendeu indicar todos os cabeças de lista, já não concordo com a outra exceção, que considero ser um ponto negativo. Não tenho nada contra a pessoa, mas é uma desconsideração pelo distrito”, reforçou Rui Rocha, referindo-se a Pedro Roque, número três da lista.

O social-democrata lamentou que “Leiria seja o único distrito que tem mais do que uma indicação nacional”, com o “único ‘paraquedista’, palavra dita pelo secretário-geral do PSD”.

Esta lista “condiciona sobretudo a margem da CPD para organizar uma lista que seria relevante para garantir as melhores condições para ganhar as eleições legislativas no distrito”.

Tendo em conta o último sufrágio, Rui Rocha recordou que o PSD elegeu cinco deputados por Leiria.

“Se considerarmos que nesta lista dois são nacionais, então há uma representação de 40% da sua responsabilidade. Seria mais razoável que em círculos onde se elege um maior número de deputados pudessem ter mais pessoas indicadas pela nacional”.

Rui Rocha acredita que o impacto em Leiria irá gerar “desequilíbrio” e até levou à saída de “pessoas importantes”. Sem querer pessoalizar, o presidente admitiu que uma delas foi o atual deputado Pedro Pimpão.

“Esta lista não é favorável ao distrito. É uma desconsideração grave por tudo o que o PSD Leiria tem feito pelo PSD nacional, independentemente de quem é o seu líder. Quando me candidatei à distrital, em 2017, anunciei que não seria candidato a deputado. Sempre estive neste processo de forma despretensiosa e há questões que não estou disponível para prescindir delas”, rematou.

No mês passado, também o secretariado da Federação Distrital do Partido Socialista da Guarda demitiu-se em bloco por discordar da forma como a direção nacional do partido geriu o processo de escolha dos candidatos às eleições legislativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend