Salvador quer trazer de Portugal restos mortais de Thomé de Souza

Mundo Lusíada

O deputado Antonio Brito (PSD-BA) esteve na manhã do dia 1, em Lisboa, com o deputado português Carlos Páscoa, que preside o Grupo Parlamentar de Amizade Portugal-Brasil.

Durante o encontro, foi tratado, por solicitação do vereador Henrique Carballal e do advogado Ademir Ismerim, a possibilidade de trazer para Salvador da Bahia os restos mortais de Thomé de Souza, fundador da capital baiana e primeiro governador-Geral do Brasil.

Segundo divulgou o deputado brasileiro, a Câmara Municipal de Salvador vai encaminhar uma correspondência oficial ao parlamento português para que seja analisado o pleito.

A possibilidade de trazer para Salvador os restos mortais de Thomé de Souza foi pauta de reunião do Grupo Parlamentar Brasil-Portugal. “Estou à disposição da CMS para fazer esta interlocução, visando o êxito desta importante demanda para a história de Salvador”, declarou Brito.

Atualmente, os restos mortais estão depositados no antigo mosteiro da cidade de Vila Franca de Xira, em Portugal.

Thomé aportou na Bahia em 29 de março de 1549, com colonos e seis jesuítas, chefiados pelo padre Manuel da Nóbrega. Foi nomeado governador-geral entre 1549-1553. Para instalar a sede do novo governo Tomé de Sousa fundou a cidade do Salvador, erguendo a residência do governador, a Casa da Câmara, a Igreja Matriz, Colégio dos Jesuítas e, aos poucos, outros edifícios.

Santas Casas

A reunião em Lisboa tratou ainda do Encontro Mundial das Santas Casas, que vai ser realizado em maio de 2019, em Macau, na China, e da visita de uma comitiva de parlamentares portugueses ao Brasil, prevista para abril.

Durante sua passagem por Portugal, Antonio Brito esteve em visita a Santa Casa de Misericórdia de Vila Verde, e ainda foi recebido pelo presidente União das Misericórdias Portuguesas (UMP), Manuel Lemos, e a provedora da Santa Casa de Barreiro, Sara Oliveira.

Brito coordena a Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas, relançada no mês passado, na Câmara dos Deputados em Brasília.

A frente trabalha para garantir a recuperação das entidades – que acumulam uma dívida acumulada nos últimos 15 anos e que ultrapassa R$ 21 bilhões. Segundo Brito, outra atuação da frente parlamentar para ajudar o setor será tentar convencer o governo federal de reajustar a tabela do SUS paga aos hospitais.

Grupo

O Grupo Parlamentar Brasil-Portugal se reuniu em fevereiro para definir as prioridades de trabalho. “A questão da educação, as universidades, a imigração, a saúde no envelhecimento, com as Santas Casas, a tecnologia e o turismo. São cinco pontos principais que nós traçamos como meta e prioridade para a relação entre o parlamento brasileiro e o parlamento português” declarou Brito.

Outro tema que preocupa os participantes do grupo é a questão de mulheres brasileiras que sofrem violência doméstica em Portugal.

Segundo a procuradora da Mulher da Câmara dos Deputados, deputada Leandre, do PV do Paraná, a maior parte das denúncias recebidas pela Câmara, sobre violência sofrida por mulheres que vivem no exterior, é proveniente de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend