PS quer aprofundar relacionamento entre Portugal e diáspora, diz deputado

Da Redação
Com Lusa

O Partido Socialista pretende “aprofundar o relacionamento entre Portugal e as comunidades da diáspora”, proposta que vai constar no seu programa eleitoral, segundo o deputado do PS eleito pela Europa, Paulo Pisco.

“O país tem de valorizar este ativo extraordinário que são os portugueses residentes no estrangeiro, em termos econômicos, culturais e diplomáticos. É das nossas maiores riquezas”, afirmou o único deputado socialista eleito pelos círculos da Emigração.

Paulo Pisco falava à agência Lusa no sábado à noite, durante um jantar com a presença de 150 militantes e apoiantes da secção de Toronto do PS.

“Portugal não pode ser visto apenas como os 10 milhões de habitantes que estão no nosso país. Portugal é uma nação vasta composta por aqueles que estão no nosso país e por aqueles que estão no estrangeiro com a nacionalidade portuguesa, que nasceram em Portugal, ou são descendentes de portugueses e têm sempre esta vontade e curiosidade de estreitar os laços com Portugal”, sublinhou.

O número de portugueses emigrados é de cerca de 2,2 milhões em todo o mundo, encontrando-se a maioria na Europa, segundo um relatório das Nações Unidas.

O deputado explicou que a diáspora “é uma extraordinária riqueza” e que Portugal “precisa de ir mais longe e mais fundo” na valorização dos portugueses residentes no estrangeiro e no “estreitamento de laços” entre Portugal, o Governo e instituições e de quem vive fora do país.

“É aproveitar todas estas potencialidades porque temos empresários que têm a sua atividade no estrangeiro, eles podem ter o desejo de investir no nosso país por razões afetivas”, disse.

“É muito importante que se compreenda toda esta dimensão, quer dos empresários, dos eleitos, da língua e cultura portuguesa enquanto ativo estratégico do nosso país, são trunfos que temos e que devemos verdadeiramente valorizar e aproveitar, quer para os portugueses residentes no estrangeiro, quer para os portugueses no nosso país”, acrescentou o deputado.

No Canadá calcula-se que existem cerca de 550 mil portugueses e lusodescendentes e Paulo Pisco deseja que Portugal “tenha uma percepção da importância que as comunidades têm”.

O deputado socialista defendeu que a ligação aos emigrantes deve fazer-se de uma maneira mais eficaz, para que estes sintam que o “país os valoriza, que reconhece todo o percurso e esforço de superação das dificuldades econômicas e sociais para se integrarem”.

Paulo Pisco esteve em Toronto, durante os últimos três dias, onde se encontrou com a vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto Ana Bailão, com os vereadores Martin Medeiros e Paul Vicente da câmara de Brampton, tendo visitado ainda o consulado-geral de Portugal, o sindicato da construção, a instituição Luso Canadian Charitable Society, a escola de português Novos Horizontes, entre várias empresas e associações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend