PS destaca eleição na Europa e fora da Europa, o que não acontecia há 20 anos

Da Redação
Com Lusa

A secretária-geral adjunta do PS afirmou que o partido socialista foi o único que elegeu nas legislativas deputados em todos os círculos eleitorais e destacou a eleição de Augusto Santos Silva no círculo Fora da Europa.

Estas posições foram transmitidas à agência Lusa por Ana Catarina Mendes, que esta semana foi proposta por António Costa para o cargo de líder parlamentar do PS, em reação aos resultados agora conhecidos nos dois círculos da emigração, os últimos que faltavam apurar das eleições legislativas de 06 de outubro passado.

No conjunto dos dois círculos eleitorais da emigração (Europa e Fora da Europa), o PS venceu com 41.525 votos contra 37.060 do PSD. Em termos de mandatos, o PS elegeu dois deputados, e também elegeu dois o PSD.

“O PS saúda a eleição dos seus deputados pelos círculos da Europa, Paulo Pisco, e Fora da Europa, Augusto Santos Silva, reforçando assim o grupo parlamentar maioritário e a vitória que o partido obteve no passado dia 06. O PS passa agora a ter 108 deputados”, afirmou a “número dois” da direção dos socialistas.

Ana Catarina Mendes destacou que, “pela primeira vez, depois de 20 anos, o PS elegeu um deputado pelo círculo eleitoral Fora da Europa, o que é significativo da credibilidade que o partido conquistou junto das comunidades portugueses”.

“Esta proeza é também um resultado fruto do trabalho desenvolvido pelo Governo no sentido de facilitar a forma de votação. Com esta eleição, o PS é o único partido com deputados em todos os círculos eleitorais”, declarou.

Sobre a opção da direção do PS de colocar o ministro dos Negócios Estrangeiros como cabeça de lista no círculo eleitoral Fora da Europa, Ana Catarina Mendes sustentou que se tratou “de uma aposta ganha”.

“A competência [de Augusto Santos Silva] foi reconhecida e o Governo seu no seu todo mereceu o reconhecimento dos nossos concidadãos que estão espalhados pelo mundo. É muito importante que se sintam próximos da vida política em Portugal”, acrescentou.

Também o Primeiro-Ministro, António Costa, saudou a “enorme participação” dos eleitores residentes no estrangeiro, que aumentou seis vezes “para os 154 mil votantes”, face ao escrutínio anterior.

“Enquanto primeiro-ministro, quero saudar a enorme participação dos portugueses residentes no estrangeiro, aumentou seis vezes a participação, o que mostra bem a prioridade que definimos – de reforçar os laços de coesão entre a comunidade residente no território nacional e as comunidades da diáspora, reforçar os mecanismos da sua participação cívica – foram um sinal importante que se traduziu num aumento de uma participação eleitoral na casa dos 25 mil votantes para 154 mil votantes”, disse Costa.

O aumento da participação eleitoral, salientou, mostra que os portugueses na diáspora “sentem cada vez mais forte o seu vínculo a Portugal”, laços que considerou ser importante que continuem a ser fortalecidos.

“Num mundo globalizado, nunca nos podemos esquecer que Portugal não somos só dez milhões que residimos no território nacional, mas somos mais cerca de cinco milhões que estão hoje um pouco por todo o mundo”, lembrou António Costa.

As legislativas de 06 de outubro foram ganhas pelo PS com 36,34% dos votos e 108 deputados eleitos, quando estão atribuídos todos os mandatos, incluindo os quatro dos círculos eleitorais da Europa e de Fora da Europa.

De acordo com os resultados finais, divulgados pela Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna – Administração Eleitoral, já com os dados das votações nos 27 consulados, o PSD foi o segundo partido mais votado, com 27,76% dos votos e 79 deputados.

Elegeram ainda deputados para a Assembleia da República BE (9,52% dos votos e 19 deputados); CDU (6,33% e 12 deputados); CDS-PP (4,22% e 5 deputados); PAN (3,32% e 4 deputados); Chega (1,29% e 1 deputado); Iniciativa Liberal (1,29% e 1 deputado) e Livre (1,09% e 1 deputado).

O PS venceu sem maioria absoluta, para a qual precisaria de, pelo menos, 116 deputados.

Em relação aos resultados que esta madrugada foram escrutinados, no círculo eleitoral da Europa, os dois mandatos foram um para o PS e outro para o PSD e o mesmo se verificou no círculo de Fora da Europa.

A taxa de abstenção foi de 51,43%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend