SP: Casa de Portugal presta homenagens para personalidades com medalha e comendas

Por Odair Sene

Numa segunda feira, dia 18 de março, aconteceu na Casa de Portugal de São Paulo uma solenidade de homenagens com a maior honraria da entidade, que é a outorga da Comenda da Ordem do Mérito Infante Dom Henrique.
Inicialmente, na divulgação do evento as homenagens seriam entregues para: Antonio de Almeida e Silva, Antonio Júlio Machado Rodrigues, Aristides Fiamozzini Filho e Paulo Machado, no entanto dois estavam em viagens ao exterior, Almeida e Silva e Júlio Rodrigues.
A solenidade contou com o trabalho protocolar do diretor Ricardo Magalhães e quem comandou o evento nas homenagens foi o Presidente da Casa de Portugal Com. Antonio dos Ramos, que recepcionou vários presidentes de casas regionais de São Paulo e autoridades, como o Cônsul Geral de Portugal em São Paulo, Paulo Nascimento, o Desembargador do Tribunal de Justiça de SP; Marco Antonio Marques da Silva, o Cônsul Adjunto do Consulado de SP; Hugo Gravanita, etc.
Paulo Machado e o Dr. Aristides foram agraciados com a honraria: Ordem do Mérito Infante D. Henrique, criada pela Diretoria da Casa de Portugal de São Paulo no dia 4 de março de 1944. A entidade condecora com esta comenda personalidades físicas ou jurídicas que tenham desempenhado uma ação contínua e valorosa em prol da valorização da imagem de Portugal, dos portugueses e das relações entre as duas nações.
Além dos dois citados a casa ainda prestou homenagem ao presidente do Tribunal de Justiça de SP, Manoel de Queiroz Pereira Calças, que foi o primeiro homenageado da noite, e recebeu a “Medalha do Mérito Comendador Pereira Queiroz”, a homenagem marcou sua entrada como sócio da Casa de Portugal.
A Medalha do Mérito oferecida foi instituída pela Diretoria da Casa de Portugal no dia 21 de junho de 1983, um ano após a morte do ex-presidente Pereira Queiroz, esta honraria visa homenagear figuras ilustres que visitam a Casa de Portugal e que tenham desempenhado papel significativo em prol da imagem de Portugal, da nossa Comunidade e da Instituição.
Ao Mundo Lusíada o presidente do Tribunal de Justiça disse da importância em receber tal reconhecimento. “O reconhecimento da comunidade portuguesa, da Casa de Portugal, para qualquer autoridade brasileira sempre é muito importante, na medida que nossa pátria mãe é Portugal. Temos vínculos antigos, inclusive toda a nossa parte administrativa política vem de Portugal. Isso nos toca profundamente”, diz ele que é neto de português.
“Meu avô, Manuel Pereira Calças era de Leiria, e minha avó Maria Augusta Simões Lopes, era de Vale Sobreiro, portanto temos um vínculo português muito forte, na medida que meu avô foi um dos fundadores da cidade de Lins no final de 1890, e sempre cultivou as raízes portuguesas”.
Dr. Manoel é um dos proprietários da casa dos avós em Portugal, um casarão com mais de 100 anos, onde se criou doze filhos. “Meu pai era o primogênito, Manuel Pereira Calças Filho, foi professor formado em ciências contábeis e criou oito filhos e todos formados”, disse ele citando como curiosidade o nome da medalha e a familiaridade com o sobrenome de sua família: Queiroz Pereira.
“Para mim, que sou hoje professor de Direito Comercial na Faculdade de Direito da USP, é muito importante porque a USP se originou e se inspirou em Coimbra. Todos os primeiros professores da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, foram alunos de Coimbra, a tradição de Coimbra é mantida até hoje. Tudo isso me faz palpitar essa saudade lusitana”, diz ele que vai a Portugal constantemente, principalmente para região de Leiria.

Ordem do Mérito – Pela parte da comunidade portuguesa, Paulo Machado e Aristides Fiamozzini, foram as duas figuras em destaque que já trabalham há muito tempo em prol da comunidade portuguesa. “Muito emocionante, é uma honraria muito importante. Estou muito feliz e emocionado. Valeu a pena, sem dúvida”, disse Aristides Fiamozzini Filho, que agradeceu publicamente à casa.
Essa homenagem, para ambos, representa a homenagem mais importante da comunidade portuguesa por intermédio da Casa de Portugal, que alguém pode receber. O atual vice da casa, Paulo Machado comentou sobre este reconhecimento e disse estar extremamente “gratificado”.
“Eu me sinto extremamente gratificado e feliz por ter merecido a honra de receber a Comenda Ordem do Mérito Infante Don Henrique aqui na Casa de Portugal”, disse ele que se emocionou durante seu agradecimento público. “Faz parte da história da minha vida, que desde os 16 anos trabalho na comunidade”.
Citando a importância do reconhecimento, o presidente do Conselho da Comunidade Manuel Magno, comentou sobre isso do reconhecimento a quem trabalha em prol das tradições lusas. “A comunidade deve isso para algumas pessoas. Eles são dois exemplos do trabalho voluntário, dignificante, que é feito em prol da comunidade. E repito, essa comunidade tem sim que reconhecer essas pessoas que doam seu tempo, sacrificam suas famílias em termos de tempo, e fazem aquilo que o seu coração manda”.
Segundo Magno, o Conselho da Comunidade, como agregador de todas as casas portuguesas em São Paulo, deve participar. “Tem sempre que estar participando, apoiando e mais que isso, colaborando com as casas e com essas pessoas que dedicam seu tempo a isso”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend