Professor luso-brasileiro organiza congresso de antropologia nos Açores

Por Igor Lopes

Entre os dias 12 e 15 de março decorre, em Ponta Delgada, nos Açores, o XXIV Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América: Museus, Turismo e Patrimônio, promovido pela Universidade de Salamanca (USAL), pelo Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (IHGSC) e pela Câmara Municipal de Ponta Delgada.

O programa oficial conta com atividades centrais, paralelas e conjuntas, como passeios, lançamentos de livros, visitas etnográficas e eventos que procuram estreitar as relações entre os participantes. As sessões acontecem na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada (BPARPD). A abertura oficial do Congresso terá lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Ponta Delgada.

Para o professor doutor Luiz Nilton Corrêa, diretor do Congresso e presidente da Comissão Organizadora do evento, o encontro, que tem como um dos objetivos promover a antropologia ao público em geral, reúne palestrantes de nível elevado.

“Temos as melhores expectativas, uma vez que este congresso não surpreende apenas pelos números, mas também pela qualidade e diversidade dos participantes. Temos envolvidos mais de 15 países e um público diversificado, sendo a maioria proveniente de fora de Portugal, o que reforça o caráter internacional e multitemático do congresso”, afirma Luiz Corrêa, que comenta ainda que os dias de evento irão privilegiar vários temas e estudos.

“O tema principal do congresso é a Antropologia de Ibero-América e está focado em áreas ligadas a Museu, Turismo e Património. Dentro destas temáticas surge uma grande variedade de abordagens, que podem ir desde as festas dos mortos no México, até as tradições musicais do Chile, passando por museus regionais em Portugal, coleções museológicas nos Açores, o Museu do Amanhã no Rio de Janeiro, casos de imigração açoriana em São Paulo, religiosidade como identidade no nordeste brasileiro, o turismo festivo em cidades de Espanha ou mesmo casos específicos de trabalhos etnográficos realizados em várias partes de Ibero-América”, revela este responsável.

Profissionais aguardados

O congresso terá mais de 80 palestrantes e seis conferencistas. Estarão presentes pesquisadores renomados nas suas respectivas áreas de atuação, como diretores de departamentos e institutos de pesquisas nos seus países de origem. Estão confirmados palestrantes do México, Costa Rica, Chile, Venezuela, Colômbia, Brasil, Uruguai, Espanha, Cabo Verde, China, Portugal, entre outros.

“Nomes como Ángel Aguirre Báztan, da Universidade de Barcelona, Artur Teodoro de Matos, da Universidade Nova de Lisboa, Alexandre Fernandes, diretor do Museu do Amanhã, no Rio, Ángel Espina Barrio, da Universidade de Salamanca, Clara Saraiva, presidente da Associação Portuguesa de Antropologia, Maria del Carmen Araya Jiménez, do Centro de Investigações Antropológicas de Costa Rica, Mário Hélio Gomes Lima, da Sociedade Ibero-americana de Antropologia Aplicada, são alguns exemplos da qualidade do evento, já que todos contam com grandes carreiras nos seus institutos e universidades e têm dezenas de artigos e livros publicados. Este será um evento diversificado e de alta qualidade científica”, defende Luiz Corrêa.

Local adequado

Segundo este responsável, a escolha dos Açores para sediar o congresso foi acertada.

“Para além de uma infraestrutura adequada, com hotéis, restaurantes e uma excelente receptividade, a simpatia dos seus habitantes e os excelentes serviços prestados fazem com que o arquipélago dos Açores, especialmente a Ilha de São Miguel, reúna todas as condições necessárias para que eventos deste tipo sejam promovidos com grande sucesso. O que não foi diferente neste caso. Com o apoio da Câmara Municipal de Ponta Delgada conseguimos dar inicio à organização junto com a Universidade dos Açores e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina. E este apoio inicial foi fundamental, uma vez que havia outras cidades interessadas, optamos por Ponta Delgada nesta primeira edição em Portugal com a justificativa de se encontrar justamente no centro de Ibero-América” declarou.

“O resultado foi mais de uma centena de proposta de trabalhos com inscrições de ouvintes que já chega próximo as duas centenas, na maioria dos casos, de pesquisadores e estudantes de fora dos Açores. Estas informações são reveladoras uma vez que demostram o potencial dos Açores para o turismo de evento, utilizado já nas grandes cidades em todo o mundo e que no caso dos Açores tem um grande potencial, sobretudo nas épocas de baixa temporada. Será sem dúvida um excelente evento académico e científico que marcará tanto a história do Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América como a própria cidade de Ponta Delgada e do arquipélago dos Açores”, finaliza Luiz Corrêa.

Literatura integra programação

Ao todo, cinco livros serão lançados durante o evento. Um sobre o diálogo intercultural, as religiosidades populares, a música e as migrações, que é resultado do Congresso Ibero-americano anterior, realizado no Chile, em 2017, e tem como editores os professores doutores Ángel Espina Barrio, Luiz Nilton Corrêa e Jaime Roberto Montes Miranda.

O professor Ángel Aguirre Baztán lançará o Dicionário Temático de Antropologia Cultural, de que é organizador e autor. A obra é um lançamento da editora espanhola Delta.

De António Salvado será lançado Museu e Comunidade e Outros Textos; de Luiz Henrique Sormani Barbugiani: A Colheita da Prova Testemunhal em Juízo no Brasil: Uma visão antropológica; e de José Carlos Gentili: Museus e suas Gestões: Do descaso ao caso do Museu da Estrada Real dos Currais.

A programação completa e atualizada do congresso pode ser consultada on-line em www.ciai2019.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend