Brasil e Portugal fortalecem parcerias na área cultural

O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires; a ministra de Cultura de Portugal, Graça Fonseca; e o embaixador do Brasil em Portugal, Luiz Alberto Figueiredo Machado, se reuniram para firmar parcerias.

Da redação

As pautas culturais que unem Brasil e Portugal foram tema de reuniões entre o secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, e representantes do governo português, em Lisboa.

A visita da comitiva brasileira, iniciada dia 19, na capital portuguesa, pretendeu abordar as parcerias no audiovisual e na literatura, e as comemorações que envolvem os 100 anos da Semana de Arte Moderna e os 200 anos da Independência do Brasil – ambos celebrados em 2022.

Os marcos das celebrações foram abordados em reunião com a ministra de Cultura de Portugal, Graça Fonseca. Os representantes debateram atividades em conjunto para as duas datas comemorativas, consideradas relevantes para ambos os países.

“Há muitas obras brasileiras de grande qualidade em acervos públicos e privados de Portugal. Convidamos o Ministério e o Museu do Chiado [Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado] a prepararem programações alusivas”, afirmou o secretário especial da Cultura, em relação à Semana de Arte Moderna. Na agenda de Pires, foi incluída uma visitação ao museu, detentor do maior acervo histórico contemporâneo português.

Já na área da literatura, os gestores culturais citaram a importância do Prêmio Camões, instituído pelos governos brasileiro e português, e atribuído aos autores que tenham contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua portuguesa.

O secretário especial da Cultura lembrou que está em fase de aprovação, no Congresso Nacional do Brasil, a criação do Prêmio Monteiro Lobato, também voltado aos autores de língua portuguesa mas, desta vez, premiando a literatura infanto-juvenil. “A expectativa é que possamos, no início do segundo semestre, lançar editais para premiar esses autores e ilustradores”, estimou Pires.

Audiovisual

No Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) de Portugal, Henrique Pires se reuniu com o diretor da instituição, Luís Chaby Vaz. Na ocasião, citou que pretende aumentar as coproduções que envolvem os fundos setoriais do audiovisual de ambos os países.

“Queremos ampliar este tipo de parceria, com editais sendo lançados, possibilitando montantes significativos. A ideia é viabilizarmos obras audiovisuais um pouco mais robustas, que possam ter competitividade no mercado internacional”, afirmou o secretário Henrique Pires.

A Agência Nacional do Cinema (Ancine), vinculada ao Ministério da Cidadania, já lançou um edital em parceria com o ICA, atualmente em fase de avaliação de projetos. Das 11 propostas inscritas, oito foram habilitadas. Com financiamento no valor de US$ 300 mil, estão previstos investimentos em dois projetos de longas-metragens de ficção e documentário, com destinação inicial prioritária para o mercado de salas de exibição.

No Brasil, puderam concorrer projetos apresentados por produtoras brasileiras independentes registradas na Ancine que participem na condição de coprodutoras minoritárias. Os projetos com participação majoritária brasileira são apresentados por seus parceiros portugueses no edital lançado simultaneamente pelo ICA-IP, em Portugal.

Recital
O secretário especial da Cultura ainda foi recebido na Embaixada Brasileira pelo embaixador do Brasil em Portugal, Luiz Alberto Figueiredo Machado. Para a ocasião, a embaixada promoveu um recital de piano com o maestro brasileiro Marcelo Bratke, radicado em Londres.

O artista está na capital portuguesa para se apresentar com o bailarino brasileiro Thiago Soares e com a primeira bailarina portuguesa Filipa de Castro, no espetáculo “Duelo”, no Teatro Tivoli, em Lisboa. O secretário foi convidado para prestigiá-los, nesta quarta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend