Vírus: Empresa chinesa envia máscaras do Brasil para a China

Da Redação
Com Lusa

O fabricante automóvel chinês BYD Co Ltd anunciou nesta quinta-feira ter enviado máscaras cirúrgicas no valor de um milhão de yuan (130,7 mil euros) do Brasil para a China, onde serão doadas.

Numa mensagem publicada nas redes sociais, a BYD diz que a subsidiária do grupo no Brasil “aproveitou a sua localização conveniente” para adquirir as máscaras cirúrgicas, face à escassez sentida na China.

A empresa referiu que as máscaras serão entregues ao pessoal médico nos hospitais chineses, assim como a trabalhadores dos transportes públicos e aeroportos do país, afetado pelo novo coronavírus, detetado em dezembro na cidade chinesa de Wuhan.

Num gesto raro, o Governo chinês pediu esta semana a ajuda do resto do mundo, perante a necessidade urgente de repor as provisões de máscaras cirúrgicas, fatos ou óculos de proteção, para conter a epidemia.

O conglomerado chinês Fosun Internacional, que detém a seguradora portuguesa Fidelidade e é o principal acionista do banco BCP, anunciou a 28 de janeiro a chegada a Xangai de mais de 10 mil máscaras adquiridas em Portugal.

Poucos dias depois, o empreiteiro estatal chinês Gansu Construction Investment anunciou o envio de 7 mil máscaras de Angola para a China, onde foram doadas à Cruz Vermelha.

A BYD já tinha doado 10 milhões de yuan (1,3 milhões de euros) a uma organização não-governamental da província de Hubei, onde surgiu o novo coronavírus, para ajudar a combater o surto.

A BYD está a construir um sistema de monocarril na capital do Estado brasileiro da Bahia, Salvador, e no dia 01 de fevereiro venceu o concurso para desenvolver um novo monocarril na cidade de São Paulo.

A China elevou hoje para 563 mortos e mais de 28 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

Nas últimas 24 horas, registaram-se 73 mortes e 3.694 novos casos.

A primeira pessoa a morrer por causa do novo coronavírus fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infeção confirmados em mais de 20 países, o último novo caso identificado na Bélgica terça-feira.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

Casos no Brasil

O Ministério da Saúde atualizou nesta quinta-feira as informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde sobre a situação dos casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil. Agora, nove casos se enquadram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019, uma redução de dois casos suspeitos em relação ao informe do dia anterior.

O boletim foi apresentado durante a reunião, em Brasília, com secretários de saúde dos estados e capitais de todo o país.

As ocorrências suspeitas estão sendo monitorados pelo Ministério da Saúde nos seguintes estados: Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), São Paulo (3), Santa Catarina (1) e Rio Grande do Sul (3). O ministério também já descartou 24 casos para investigação de possível relação com a infecção humana pelo coronavírus, três casos a mais do que o boletim divulgado dia 5.

Todas as notificações foram recebidas, avaliadas e discutidas com especialistas, caso a caso, junto com as autoridades de saúde dos estados e municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend