Vacina portuguesa tem resultados promissores nos ensaios pré-clínicos em animais

Da Redação
Com Lusa

Os ensaios pré-clínicos, em animais, da vacina portuguesa contra o novo coronavírus, que está a ser desenvolvida na Immunethep, em Cantanhede, distrito de Coimbra, revelam resultados promissores na capacidade de produção de anticorpos específicos, foi nesta quinta-feira anunciado.

Em comunicado enviado à Lusa, a biotecnológica Immunethep prevê iniciar nos próximos meses os ensaios clínicos em humanos da vacina SILBA, que tem a particularidade de ser administrada por via intranasal.

Pedro Madureira, cofundador e diretor científico da Immunethep, salienta que, “através destes ensaios clínicos, foi possível confirmar a capacidade de os anticorpos produzidos neutralizarem a propagação do vírus em culturas de células ‘in vitro'”.

“Os dados obtidos até ao momento são muito promissores e indicadores do potencial desta vacina, uma vez que, através dos dados que se conhecem das vacinas já existentes, anticorpos contra este domínio RBD da proteína Spike, estão associados a uma proteção contra a covid-19”, afirma Bruno Santos, cofundador e diretor executivo da Immunethep.

Segundo o responsável, trata-se de “excelentes indicadores para os ensaios de eficácia em curso que se tenciona terminar no final de maio, dando lugar aos ensaios clínicos em humanos”.

A vacina em desenvolvimento pela Immunethep atua na prevenção da covid-19 e utiliza o vírus inativado, que “reduz muito a probabilidade de haver novas variantes do vírus SARS-CoV-2 que escapem à vacina”.

O comunicado frisa que o facto de a vacina ser de administração intranasal “permite maximizar a imunidade ao nível das mucosas pulmonares, canal preferencial de entrada do vírus no organismo”.

“A Immunethep mantém uma parceria com a PNUVAX, fabricante global de vacinas no Canadá e continua a desenvolver esforços para a concretização do investimento necessário por parte das entidades governamentais portuguesas para poder avançar rapidamente para os ensaios clínicos em humanos no segundo semestre do ano, como planeado”, refere.

Desde a sua fundação, em 2014, que a Immunethep se tem dedicado ao desenvolvimento de imunoterapias, principalmente contra infeções bacterianas multirresistentes, contando atualmente com 10 colaboradores.

Dados Covid

Portugal registra nesta quinta-feira mais duas mortes relacionadas com a covid-19 e 501 novos casos de infecção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), verificando-se uma nova diminuição no número de internados.

Segundo o boletim divulgado pela DGS, estão internados 423 em enfermaria, menos 24 do que na quarta-feira, e 109 nos cuidados intensivos, menos sete.

Hoje é o terceiro dia do ano com menos mortes. A 30 de março e a 12 de abril, Portugal registrou também duas mortes relacionadas com a covid-19.

Já quanto ao número de novos casos os valores de hoje são semelhantes aos registados nas últimas semanas.

Os dados revelam também que 542 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 787.011 o número total desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

Há 25.414 casos ativos em Portugal, menos 43 em relação a quarta-feira.

O número de contatos em vigilância pelas autoridades de saúde aumentou em 642 relativamente a quarta-feira, totalizando agora 19.046.

Desde março de 2020, Portugal já registrou 16.933 mortes associadas à covid-19 e 829.358 casos de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19.

De acordo com os mais recentes dados da DGS, Portugal tem atualmente 2.264.585 pessoas vacinadas contra a covid-19, das quais 616.426 já estão imunizadas com as duas doses.

O índice de transmissibilidade (Rt) do novo coronavírus em Portugal é atualmente de 1,06 e a incidência de casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias atingiu 72,4, segundo dados oficiais.

Os dados do Rt e da incidência são atualizados à segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

As duas mortes reportadas pelas autoridades de saúde foram registadas na região Norte.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 188 novas infeções, contabilizando-se até agora 314.188 casos e 7.179 mortos.

Há quase oito meses que não havia um dia sem mortes na região de Lisboa.

A região Norte tem 156 novas infecções por SARS-CoV-2 e desde o início da pandemia já contabilizou 333.056 casos de infeção e 5.328 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 73 casos, acumulando-se 117.995 infecções e 3.004 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 21 casos, totalizando 29.486 infeções e 970 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve o boletim de hoje revela que foram registrados 32 novos casos, acumulando-se 21.278 infeções e 355 mortos.

Na região Autónoma da Madeira foram registrados 15 novos casos, contabilizando 8.919 infeções e 68 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm hoje 16 novos casos e contabilizam 4.436 casos e 29 mortos desde o início da pandemia, segundo a DGS.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: