RTP cruza os braços conformada com perda de visibilidade no Brasil

 

A diretoria da televisão pública portuguesa diz que o canal internacional tem atualmente acordos com cerca de 30 empresas brasileiras de TV por assinatura.

 

Da Redação Portugal Digital

O fim da presença do canal internacional da televisão estatal portuguesa RTP (Radiotelevisão Portuguesa) nos canais pagos brasileiros é apresentada pelos responsáveis pela televisão pública portuguesa como uma inevitabilidade. A saída da emissora pública da grade de programação da Sky Brasil, sendo substituída pelo canal privado português SIC, originou protestos por parte de alguns setores da comunidade luso-brasileira, que solicitaram a intervenção do embaixador português em Brasília, Francisco Seixas Costa. "Sei que o sinal da RTP é oferecido de forma absolutamente grátis e não consigo vislumbrar qualquer razão racional para a exclusão daquele canal, que poderia perfeitamente conviver com as transmissões da SIC Internacional", disse Seixas da Costa em carta ao presidente da Sky, divulgada pelo Portugal Digital e reproduzida pela Lusa. A propósito do desaparecimento do canal público português da programação dos dois principais grupos de tv paga ( cabo e satélite) do Brasil, designadamente a Net e a Sky, e a sua substitução pelo canal português SIC, do grupo de mídia do empresário Pinto Balsemão, parceiro das organizações Globo, o embaixador português enviou no último fim-de-semana uma carta ao presidente da Sky Brasil, Luiz Eduardo Baptista, solicitando um encontro e pedindo a suspensão da decisão. De acordo com declarações do diretor de relações institucionais e internacionais da RTP, Lopes Araújo, citado pela Agência Lusa, a substituição da televisão estatal pelo canal internacional da SIC, "em algumas redes de TV por assinatura", é um processo iniciado há cerca de três anos. "A RTPi é difundida no Brasil desde o seu início, há cerca de 15 anos, por meio de um sinal de satélite gratuito e universal e que não foi afetado", disse. Ao mesmo tempo, afirma o diretor da RTP, o canal cedia o seu sinal de transmissão gratuitamente a empresas privadas de TV paga. Algumas delas optaram pela substituição da emissora. Lopes Araújo diz, ainda, que o canal internacional da emissora pública portuguesa tem atualmente acordos com cerca de 30 empresas brasileiras de TV por assinatura. O diretor da RTP não identificou com que empresas brasileiras mantém acordos e quais transmitem a programação da RTPi, em que estados ou cidades do país. Lopes Araújo não disse quantas pessoas no Brasil direcionam antenas televisivas para captar especificamente a RTPi, quando afirma que "a RTPi é difundida no Brasil desde o seu início, há cerca de 15 anos, por meio de um sinal de satélite gratuito e universal e que não foi afetado", de acordo com a mesmo fonte. A empresa estatal portuguesa de televisão não informou, até ao momento, que iniciativas desenvolveu junto da Net ou da Sky para se manter presente nos canais pagos brasileiros. Em abril do ano passado, como noticiou o Portugal Digital, a RTP assinou um contrato com a Intelsat possibilitando lançar um canal direto para a residência (DTH) sobre o satélite IA-8, da Intelsat, visando o Brasil. A RTP passou a utilizar um feixe sul-americano do IA-8 para fornecer aplicações de DTH no Brasil, através de um sistema que permite que a recepção do sinal com o canal português possa ser feita por antenas de 90 centímetros. Segundo declarou então o diretor de distribuição internacional da RTP, Paulo Velez Santos, a Intelsat "proporciona uma solução completa ideal, combinando conveniência, cobertura e capacidade por um preço bastante competitivo." O custo não foi divulgado, como também não são conhecidas as audiências da RTPi proporcionadas pelo sistema. Também o ano passado, em agosto, a RTP anunciou uma parceria com a operadora brasileira Vivo – joint-venture da Portugal Telecom e da espanhola Telefónica – para a distribuição do canal da televisão estatal portuguesa em celulares no Brasil. O custo não foi divulgado e não conhecidos quaisquer índices de acesso à informação da RTP através do sistema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend