Portugueses estão entre recordes mais bizarros do Guinness

Da Agencia Lusa

Detentor dos recordes do maior reinado europeu e do mais antigo tratado político, Portugal figura também no Guinness com proezas no mínimo originais – chifres, aviões de papel, colorações capilares e muitos pratos fartos protagonizam alguns dos mais caricatos.

Quinze mil pessoas participaram em 1998 de uma das tentativas de “multirecordes” que mais teve repercussão no país: uma gigantesca feijoada foi servida na maior mesa do mundo, na inauguração da maior ponte da Europa, a Vasco da Gama.

Nos últimos anos, Portugal obteve novos títulos culinários, como os maiores pão de chouriço, bolo-rei, tacho de caracóis, broa de Avintes, assador de castanhas ou o cozido de maior dimensão produzido sem ajuda.

Já os fãs desiludidos do esporte com a falta de conquistas em campeonatos mundiais ou nos Jogos Olímpicos, podem tentar contentar-se com o recorde da maior largada de bolas de futebol a partir de uma altura de 20 metros em Gondomar, onde o prefeito da cidade, Valentim Loureiro, admitiu nunca ter visto "tanta bola junta".

A criatividade portuguesa é tanta que a mais recente proeza – inserida, como muitas, numa estratégia publicitária -, conseguiu incluir no Livro dos Recordes mais um feito nunca antes tentado: o maior número de colorações de cabelo em 24 horas.

Confira outros recordes portugueses: Maior lançamento simultâneo de aviões de papel: milhares de pessoas atiraram 12.672 aviões, feitos na hora, para o gramado do estádio do Dragão, em 2007.

Maiores chifres de um bode: um metro e nove centímetros, de ponta a ponta, colocaram um animal de Ourém e o dono, Amílcar Reis Mendes, entre os mais curiosos recordes do Guinness em 2002.

Maior número de colorações de cabelo em 24 horas: realizado em outubro deste ano, cuja maratona num salão lisboeta deu cor aos cabelos de 380 mulheres, numa ação inserida no lançamento de novos produtos.

Maior número de camisetas vestidas: representando uma marca de roupa, Eduardo Freitas conseguiu vestir 268 peças em duas horas, em maio passado, num centro comercial em Oeiras.

Maior buquê de noiva: Fátima Fernandes criou uma composição com rosas, orquídeas, talos de espargos e fetos, num total de 42 metros e 60 quilos, para um casamento em Almargem do Bispo, em 2002.

Maior piquenique/Maior aplauso: uma cadeia de supermercados, ajudada pelo cantor luso Tony Carreira, conseguiu reunir em junho mais de 22 mil pessoas no Parque da Bela Vista, em Lisboa.

Maior tacho de caracóis: em julho, a prefeitura de Loures serviu ao público de um festival 1.111 quilos de caracóis num tacho de 600 quilos, três metros de diâmetro e um de altura.

Maior cozido sem ajuda: em 1998, em Silves, Dave Walia preparou uma refeição de caril, arroz e pão indiano para 1.081 pessoas sem qualquer ajuda, em 50 horas e 30 minutos.

Maior coleção de recordações relacionadas com a princesa Diana: Ronny Bragança tem 2.950 peças, angariadas desde 1991. A coleção inclui um cartão de Natal assinado pelo príncipe Charles e Diana.

Maior pão de chouriço: o município de Vagos obteve em 2005 o recorde, com 100 padeiros passando 60 horas fabricando um pão com 1.211,6 metros.

Deixe uma resposta