Portugal já doou quase dois milhões de vacinas contra Covid-19

Da Redação com Lusa

Portugal já doou aproximadamente dois milhões de vacinas contra a covid-19, revelou nesta terça-feira o coordenador da ‘task force’ da vacinação, que oficializou também o fim da sua missão de gestão logística no âmbito da pandemia.

Perante o primeiro-ministro, António Costa, a ministra da Saúde, Marta Temido, e o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, o vice-almirante Gouveia e Melo, responsável até agora pela coordenação do processo de vacinação contra a covid-19, destacou o país como um dos que mais doações de vacinas fez a nível internacional.

“Chegaram, grosso modo, 20 milhões de vacinas. Já doamos cerca de dois milhões de vacinas, 10% do que adquirimos”, disse Gouveia e Melo, explicando ainda que dois milhões estão em stock e mais de 15 milhões foram administradas à população.

“Há pessoas que estão a ser recuperadas e não podem ser vacinadas. A cobertura é bastante elevada, mesmo nos mais jovens, só 5% não vieram ao processo de vacinação. Alguns não podem, porque estiveram infetados”, disse.

Quanto à população elegível para vacina contra a covid-19, restam cerca de 345 mil pessoas, segundo Gouveia e Melo, que assinalou que há 140 mil que ainda não recuperaram.

Sobre os imigrantes, o vice-almirante observou que cerca de 134 mil pessoas se registraram no site criado pelo governo para esse efeito, mas que vieram a verificar-se muitos “dados repetidos” nos registros disponíveis. “Extraindo essa percentagem conseguimos vacinar 85 mil pessoas em processos dirigidos para gente que não tinha a sua situação regularizada em território nacional”, frisou.

A ‘task force’ adiantou também que os dados oficiais apontavam para 614 mil estrangeiros em Portugal, dos quais 460 mil foram vacinados com pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.995 pessoas e foram contabilizados 1.067.175 casos de infecção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

Alívio das restrições

O Governo manterá o levantamento do conjunto de restrições anti-covid-19 em 01 de outubro, mesmo que nesse dia o país não tenha atingido por décimas a meta de 85% de cidadãos vacinados.

António Costa foi interrogado se o país avança em 01 de outubro para a terceira fase do plano do Governo de levantamento das restrições mesmo que Portugal não tenha atingido por algumas décimas os 85% de população vacinada com duas doses contra a covid-19.

“O Governo fixou o dia 1 de outubro. Não estamos nos 85% de vacinas, mas estamos praticamente nesse valor. Aliás, hoje, o senhor vice-almirante Gouveio e Melo [coordenador do plano de vacinação] não precisou qual é a décima em que o país está”, respondeu.

Por isso, para o primeiro-ministro, não se justifica “haver novos adiamentos” neste processo de levantamento das restrições antes impostas por causa da pandemia da covid-19.

O Governo, segundo António Costa, “vai manter tudo como estava previsto para 01 de outubro, renovando o apelo às pessoas que já tomaram a primeira dose, mas que ainda não têm a segunda, para que a tomem.

“Tomem essa segunda dose, de forma a que se complete o plano de vacinação o mais rapidamente possível”, acrescentou.

Cerca de 8,27 milhões de pessoas em Portugal continental tinham a vacinação completa contra a covid-19 até 26 de setembro.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: