Número de mortos pela chuva no Rio sobe, Bombeiros buscam por desaparecidos

Da Redação
Com EBC

A prefeitura do Rio de Janeiro confirmou a quarta morte na cidade por causa do temporal. A vítima seria um jovem que morreu eletrocutado em Santa Cruz, bairro da zona oeste.

As outras vítimas são duas irmãs que morreram soterradas em um desabamento no morro da Babilônia, na zona sul da cidade, e um motociclista que morreu afogado ao ser arrastado pela enxurrada na Gávea, também na zona sul.

Bombeiros ainda fazem buscas por um desaparecido, que estaria sob uma casa que desabou também no Babilônia, e procuram possíveis vítimas dentro de carros em uma ladeira de Copacabana.

Falta verba

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse neste dia 9 que falta dinheiro para investir na redução de efeitos de temporais na cidade. Afirmou que a prefeitura não tem recursos para, por exemplo, realocar pessoas que moram em áreas de risco para locais seguros ou para construir novos reservatórios subterrâneos (piscinões) que sirvam para escoar enchentes.

“Temos milhares de famílias morando em área de risco. Temos 750 mil bueiros que precisam ser limpos constantemente. Agora, os recursos para isso são pequenos. Dependemos de parcerias com o governo federal. A cidade do Rio de Janeiro contribui para o governo federal com R$ 160 bilhões por ano com impostos. E só recebemos de lá para cá, com muita dificuldade, R$ 5 bilhões”, disse o prefeito.

Segundo ele, nos últimos três meses, a prefeitura não conseguiu, por exemplo, assinar nenhum novo contrato para construção de novas moradias do programa Minha Casa, Minha Vida, ou para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das encostas. Crivella também reclamou dos altos juros de empréstimos do governo federal para a cidade.

Crivella disse que é preciso rever o pacto federativo e dar mais autonomia para que as cidades possam obter seus recursos.

Ponto facultativo

O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, decretou ponto facultativo nas repartições estaduais da região metropolitana.

“No período da manhã, as escolas estaduais permanecerão abertas enquanto estiverem com aluno. As aulas nos turnos da tarde e noite estão canceladas. O decreto com a decisão será publicado hoje”, diz a nota enviada pela assessoria do governo.

O governador também cancelou a cerimônia de lançamento do serviço Disque Rio Contra a Corrupção, da Controladoria Geral do Estado (CGE), que estava marcado para as 10h.

A Assembleia Legislativa do estado (Alerj) também decretou ponto facultativo hoje, por ordem do presidente da casa, deputado André Ceciliano. Está confirmada para amanhã (10) uma sessão extraordinária, às 14h40, para votar a pauta que seria analisada hoje pelos deputados.

O presidente do Tribunal de Justiça (TJRJ), desembargador Claudio de Mello Tavares, também decidiu suspender os prazos processuais e o expediente no órgão hoje na região metropolitana, acompanhando o ponto facultativo decretado pelo Poder Executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend