Mais de 300 bombeiros com 10 meios aéreos combatem fogo em Coimbra

Da Redação
Com Lusa

Um incêndio deflagrou nesta terça-feira no concelho da Pampilhosa da Serra e está a ser combatido por mais de 300 operacionais com a ajuda de 10 meios aéreos, segundo a Proteção Civil.

“Não há habitações em risco”, disse à agência Lusa uma fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra, acrescentando que os trabalhos “estão a decorrer favoravelmente”.

O incêndio está a desenvolver-se numa área de mato e pinhal, mais de duas horas depois do alerta, dado às 14:22.

Os 335 operacionais envolvidos no combate às chamas eram, às 16:45, apoiados por 94 viaturas.

Grande dimensão

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considerou que, nos cerca de 18 mil incêndios que ocorreram nos últimos dois anos, só dois foram considerados “de grande dimensão”, ou seja, superiores a mil hectares.

“Nós tivemos, nos últimos dois anos, em 2018 e nestes primeiros sete meses e alguns dias de 2019, cerca de 18 mil incêndios até hoje em Portugal”, disse Eduardo Cabrita, que falava aos jornalistas após a reunião semanal do Centro de Coordenação Operacional Nacional (CCON), na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

De acordo com o ministro da Administração Interna, “nesses mais de 18 mil incêndios apenas dois, em dois anos, atingiram aquilo que se consideram tecnicamente incêndio de grande dimensão , isto é, incêndio superior a mil hectares”.

Eduardo Cabrita reconheceu ainda que, num contexto de alterações climáticas profundas, “há muito que fazer nas condições da nossa floresta”.

Em relação aos apoios dados aos agricultores que perderam pastos, o ministro salientou que esteve na Sertã, Vila de Rei e Mação, quando o incêndio foi dado como dominado, em 23 de julho, tendo assegurado na altura que o Governo “assumiria plenamente as suas responsabilidades”.

De acordo com Eduardo Cabrita, um despacho publicado hoje em Diário da República permite a reposição do potencial produtivo agrícola afetado, “similar ao que foi feito e está cumprido quanto ao incêndio de Monchique”.

O Governo reconheceu como catástrofe natural o incêndio que atingiu entre os dias 20 e 23 de julho diversas freguesias dos municípios de Vila de Rei e de Mação e vai conceder auxílios para as explorações agrícolas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend