Força Nacional do Brasil permanece em Moçambique até junho

Da Redação
Com EBC

O contingente da Força Nacional de Segurança Pública, que se encontra em Moçambique, na África, em trabalho de assistência humanitária na cidade de Beira e nas regiões atingidas pelo ciclone Kenneth, em Cabo Delgado, teve a sua permanência prorrogada até o dia 7 de junho.

A portaria assinada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, está publicada na edição desta terça-feira (7) do Diário Oficial da União. De acordo com o documento, a prorrogação atende a manifestação feita pelo Ministério das Relações Exteriores.

O Ministério da Justiça, por meio da assessoria de imprensa, informou que 24 bombeiros chegaram a Moçambique para render o efetivo que estava no país, desde o início de abril, trabalhando na missão de ajuda humanitária, após a passagem do ciclone Idai, no dia 14 de março.

“Os 20 bombeiros que participavam da missão retornam ao Brasil nesta terça-feira. Eles chegarão em Brasília por volta das 22h10 em voo comercial vindo de Guarulhos”, informou o ministério.


Em março, um desastre causado pelo Ciclone Idai atingiu mais de 1,8 milhão de pessoas em Moçambique. No fim de abril, novo desastre foi causado pela passagem do ciclone Kenneth.

O pedido de apoio humanitário foi feito diretamente pelo presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, ao presidente Jair Bolsonaro. A Força Nacional tem atuado na cidade de Beira desde o dia 31 de março de 2019.

A missão de assistência humanitária é coordenada pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC), no âmbito do Grupo de Trabalho Interministerial de Assistência Humanitária Internacional (GTI-AHI), formado por 15 órgãos da Administração Pública Federal, entre eles, o Ministério da Justiça e da Segurança Pública. Em Moçambique, a missão conta com a participação do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend