Estudantes do Porto criam aplicativo para prevenir incêndios florestais

Da Redação

Um grupo de estudantes da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) juntou-se à Câmara Municipal de Tondela para ajudar a prevenir incêndios florestais.

Após a tragédia do ano passado, a iniciativa do projeto “Floresta Segura” pretende ajudar a identificar proprietários de terrenos para a necessidade de limpeza, através de um aplicativo móvel.

A ideia surgiu na sequência dos incêndios que atingiram a região do país, em outubro do ano passado. Segundo os responsáveis, “um dos grandes problemas é não existir um cadastro florestal completo e rigoroso do território de Tondela, a indicar a quem pertence cada território”.

O grupo de estudantes comprometeu-se a encontrar uma solução para o problema. Foi assim que “nasceu” a APPly, uma “empresa fictícia” criada para concretizar o projeto, no âmbito da unidade curricular de Laboratório de Gestão de Projetos.

O município contactou a FEUP e mostra-se feliz com a aceitação do projeto. “Contar com a colaboração de instituições como a FEUP revela-se uma ferramenta fundamental para a estratégia a desenvolver no futuro”, afirmou o vereador da Câmara de Tondela, Miguel Torres.

Os estudantes visitaram Tondela no passado dia 27 de março. Acompanhados pelo Grupo de Intervenção Prevenção e Socorro (GIPS) da Guarda Nacional Republicana (GNR), o grupo visitou os locais afetados pelos incêndios de 15 e 16 de outubro de 2017.

“O principal objetivo passa por otimizar o trabalho do GIPS da GNR através de uma aplicação móvel para identificação dos proprietários dos terrenos com necessidade de limpeza e para a recolha e armazenamento de informação relevante para prevenir futuros incêndios desta magnitude. Esta informação inclui o tipo e densidade de vegetação, que afeta a probabilidade e velocidade de combustão do terreno”, divulga a empresa.

A APPly pretende ainda promover uma cidadania mais ativa ao permitir que os cidadãos contribuam com dados e denúncia de problemas no aplicativo.

As funcionalidades em concreto ainda não estão definidas. O projeto vai ser desenvolvido conforme as necessidades e feedback do cliente, e sendo determinadas em simultâneo com o crescimento da aplicação. “Iremos, como é óbvio, tentar desenvolver o máximo de funcionalidades possível, mas iremos privilegiar a qualidade do produto final”, garante Gonçalo Leão, estudante responsável pela “Floresta Segura”.

As novidades deverão estar prontas até 25 de maio, embora a data não seja definitiva. “Os primeiros resultados que poderemos apresentar estão esperados para o final do mês de maio”, explicou o estudante. Gonçalo Leão referiu ainda que “cada empresa terá também a apresentação final dos seus projetos no dia 8 de junho”.

Por agora, está terminada “a fase de concepção do projeto, em que estivemos a desenvolver alguns documentos para os nossos clientes a detalhar os requisitos do projeto e a arquitetura do sistema”, explica.

A equipe conta com 11 estudantes dedicados ao projeto. Porém, há ainda 47 integrados na equipe da APPly, que pretendem desenvolver soluções de software em diversos âmbitos e para outros projetos. Além do Município de Tondela, a APPly tem como clientes a IT Sector, a Comparty e a FEUP Link.

O projeto está a ser orientado por Ademar Aguiar, professor na FEUP especializado em Engenharia de Software, e integra estudantes de Engenharia Informática e Computação, Multimédia, Engenharia de Serviços e Gestão da FEUP, além de estudantes de Design de Comunicação da Faculdade de Belas Artes (FBAUP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend