Cristo Redentor eleito uma das Maravilhas do Mundo

 

Fundação lança nova votação

 

Mundo Lusíada

Após o anúncio das Maravilhas de Portugal, e atrações musicais com diversos artistas, foi anunciado no Estádio da Luz em 7 de julho, as novas 7 Maravilhas do Mundo.

António Cotrim/Lusa

Luiz Felipe Scolari recebe o prêmio pela eleição do Cristo Redentor como uma das 7 novas maravilhas do mundo em Lisboa, Portugal. 07 Julho de 2007

Neil Armstrong anunciou a primeira nova maravilha mundial: a Grande Muralha da China. As demais eleitas são, em ordem anunciada durante a cerimônia, Ruínas de Petra na Jordânia, o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, Machu Picchu no Peru, pirâmides Chichén Itzá no México, o Coliseu de Roma, e Taj Mahal na Índia.

De acordo com a organização, foram mais de 100 milhões de votos em todo mundo. O brasileiro Cristo Redentor foi o terceiro monumento anunciado e o país foi representado pelo técnico Felipe Scolari e o embaixador do Brasil em Portugal. O Dr. Freitas do Amaral também esteve presente no evento, recepcionou a todos os presentes em Lisboa, e os que estiveram acompanhando a cerimônia pelo mundo, desejando "boa noite, bom dia e bom tarde".

Segundo o executivo representante das Nações Unidas, uma campanha como das Sete Maravilhas do Mundo tem objetivo de contribuir para o aumento do respeito mútuo entre as nações.

Durante o evento, os atores Hilary Swank e Ben Kingsley lembraram ainda sobre a importância da proteção ao meio ambiente, mudanças da humanidade e novas medidas como de energias renováveis. Nova votação Ao final do evento, o criador da Fundação das Novas Sete Maravilhas do Mundo (New 7 Wonders Foundation), Bernard Weber, anunciou o próximo projeto, para nomear as 7 Maravilhas da Natureza. De acordo com ele, o objetivo principal é valorizar e preservar locais naturais.

 

António Cotrim/Lusa

Mariza e Camané no início no espetáculo da declaração oficial das novas 7 maravilhas do mundo realizado no Estádio da Luz em Lisboa 7 de julho de 2007.

Em 2001, o suíço Weber, visando contribuir para a recuperação e manutenção dos símbolos que constituem os grandes marcos na história do planeta, criou a fundação com sede em Zurique.

Weber escolheu Portugal para o evento, considerando ser dos países candidatos (Espanha, Itália, Dubai e Malásia) o que dava maior garantia de êxito à iniciativa por ser um país seguro e politicamente estável, ter experiência na organização de grandes eventos mundiais, além de um clima e infra-estrutura para o êxito de um evento à escala mundial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend