Cinco pessoas mortas por inalação de monóxido de carbono em Vila Real

Da Redação
Com Lusa

Cinco pessoas morreram no domingo devido a uma intoxicação por inalação monóxido de carbono no concelho de Sabrosa, distrito português de Vila Real, segundo fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

De acordo com o INEM, estão confirmadas cinco vítimas mortais, por inalação de monóxido de carbono.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Sabrosa, José Barros, adiantou à Lusa que o caso poderá ter ocorrido “na noite de sábado para domingo”, embora os corpos só tenham sido descobertos a meio da tarde de domingo.

A intoxicação ocorreu na rua do Comércio, na aldeia de Fermentões, no concelho de Sabrosa, afirmou à Lusa o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Vila Real.

O alerta foi dado às 16:39 e mobilizou, no local, 23 operacionais e 12 veículos, de acordo com a informação na página da Proteção Civil na Internet.

Nesta segunda-feira, o presidente da Câmara de Sabrosa alertou para os perigos escondidos dentro das casas durante o inverno, na sequência das mortes.

Domingos Carvas deslocou-se no domingo à noite a casa da família, três adultos e duas menores de 09 e 14 anos morreram, e apontou como situação estranha haver um gerador no interior da habitação.

A intoxicação por monóxido de carbono está a ser apontada como a causa mais provável para a morte, mas apenas as autópsias aos corpos poderão dar certezas a este caso.

O presidente da câmara mostrou-se surpreendido com a existência de um gerador dentro de uma casa, pelo “gás que liberta” e “até ao cheiro incomodativo a gasolina”.

Domingos Carvas referiu que, todos os anos, há relatos de situações de intoxicações por inalação de monóxido de carbono e alertou para os perigos que se escondem dentro das habitações no inverno, já que as casas ficam mais fechadas por causa do frio.

Perigos esses que derivam das lareiras, das braseiras ou das salamandras.

Poucas horas depois do caso de Sabrosa, em Mesão Frio, também no distrito de Vila Real, três pessoas – uma idosa e duas crianças – foram encontradas com sinais de tonturas, mas conscientes e transportados para o hospital.

O alerta foi dado às 23:04 de domingo. Os bombeiros encontraram um mulher de 76 anos caída e mais duas crianças de 9 anos e 10 meses e uma braseira na habitação.

A família que morreu corresponde a um casal, as filhas e um irmão de Francisco Brilhante de Sousa. O casal e as meninas residiam durante a semana numa quinta do Douro, onde os adultos trabalhavam, e só aos fins de semana iam a Fermentões onde estavam a fazer obras de melhoria na habitação.

O vizinho Álvaro Guedes disse que já tinha, inclusive, alertado para o perigo que representava ter um gerador dentro de casa.

Era este gerador que alimentava a eletricidade da habitação. As obras estavam praticamente concluídas e só faltava a EDP fazer a ligação da eletricidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend