China reporta 15.152 novos casos de Covid-19 num dia com novo método de contagem

Da Redação

A China reportou nesta quinta-feira 254 novas mortes e 15.152 novos infectados em 24 horas pelo novo coronavírus, designado Covid-19, num aumento recorde que resulta de uma alteração na metodologia da contagem.

O número total de mortes pelo surto, inicialmente detetado em dezembro passado, fixou-se hoje em 1.367, enquanto o número de casos confirmados ascendeu a 59.804, em todo o território chinês.

A província de Hubei, de onde o vírus é originário, registou, nas últimas 24 horas, 242 mortos, mais do dobro em relação ao dia anterior. Também o número de infetados ultrapassou em quase dez vezes os casos reportados na quarta-feira. Foram registrados mais 14.840 novos casos da infeção na província, fixando o total em mais de 48 mil.

O novo método de contagem inclui “casos clinicamente diagnosticados”, mas que não foram ainda sujeitos a exame laboratorial e, portanto, ausentes até agora das estatísticas.

Os atrasos no diagnóstico do vírus podem ser significativos, já que muitos pacientes aguardam até uma semana pelos resultados dos exames em laboratório, que são enviados para Pequim.

Permitir que os médicos diagnostiquem diretamente os pacientes permitirá que mais pessoas recebam tratamento, inclusive em vários hospitais construídos de raiz em Wuhan especificamente para o tratamento de infectados com o Covid-19.

Navio com infectados

Em Tóquio, o número de infectados com coronavírus a bordo do cruzeiro Diamond Princess subiu para 218, segundo o Governo japonês, que mantém em quarentena no navio atracado ao largo do país.

Há mais de uma semana que mais de 3.600 pessoas, entre passageiros e tripulantes, estão em quarentena a bordo do navio, atracado ao largo do porto de Yokohama, a sul de Tóquio, por decisão do Governo japonês que pretende assim evitar novas infecções no país.

O ministro da Saúde japonês, Katsunobu Kato, indicou que há mais 44 infectados a bordo, depois de terem sido realizadas novas análises em 221 pessoas.

Kato acrescentou que os idosos a bordo com análises negativas vão poder sair do navio antes do fim do período de quarentena, previsto para 19 de fevereiro. Estas pessoas ficaram alojadas no Japão, num local específico escolhido pelo Governo.

Entre os 44 novos casos de infecção contam-se 43 passageiros e um tripulante. O Governo japonês tinha já anunciado, na terça-feira, que ia permitir a saída do navio de passageiros mais idosos e de doentes crônicos do navio, cujas análises fossem negativas.

Cerca de 80% dos 2.666 passageiros têm mais de 60 anos de idade e mais de 200 passageiros têm 80 anos ou mais.

Os casos confirmados de infecção a bordo foram já transferidos para hospitais japoneses, numa altura em que a eficácia da quarentena começa a ser posta em causa, dado que dezenas de novos casos são identificados quase diariamente.

Já um navio de cruzeiro com mais de 2.000 pessoas a bordo e impedido de entrar em vários países asiáticos devido ao risco de uma possível propagação do novo coronavírus, designado Covid-19, atracou nesta quinta-feira no Camboja.

O MS Westerdam, navio de cruzeiro da companhia de navegação Holland America Line, recebeu na quarta-feira autorização das autoridades cambojanas para atracar no porto de Sihanoukville, depois de a Tailândia negar na terça-feira o desembarque face ao risco de algum viajante ser portador do vírus.

Japão, Taiwan, Filipinas e Guam já tinham impedido o navio de cruzeiro de atracar nos seus territórios.

Cerca de 1.450 passageiros e 802 membros da tripulação partiram no dia 01 de fevereiro de Hong Kong e planeavam chegar no sábado à cidade japonesa de Yokohama, mas as autoridades nipônicas negaram a entrada, depois de uma pessoa a bordo ter apresentado sinais de estar infetada pelo novo coronavírus da China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend