Centro do Imigrante em São Paulo é revitalizado e amplia acolhimento

Da Redação

O Centro de Integração da Cidadania (CIC) do Imigrante, programa da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, na capital paulista, passou a funcionar também como Centro de Referência e Acolhimento ao Imigrante, em parceria com o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo.

A solenidade que marcou a revitalização do CIC, no último mês, contou com as presenças do secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania, Márcio Fernando Elias Rosa; da primeira dama do Estado e presidente do Fundo Social de Solidariedade, professora Lúcia França, e de diversas outras autoridades.

Inaugurado em dezembro de 2014, o CIC do Imigrante registra mais de 25.500 atendimentos e ampliou suas atividades voltadas a imigrantes e refugiados, passando a oferecer mais de 20 serviços em um único local, desde orientação para retirada de documentos até cursos profissionalizantes.

O órgão tem apoio da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), da Prodesp/Poupatempo, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e da Assessoria Internacional do Governo do Estado de São Paulo.

Desde o início de suas atividades, o CIC do Imigrante oferece cursos de capacitação (panificação, construção civil – pedreiro e assentador de piso e azulejo -, moda, estamparia, informática, empreendedorismo), cursos de idioma (português e espanhol), e presta orientação jurídica (por meio da Defensoria Pública), faz agendamento de Carteira de Trabalho, elaboração de currículo e presta orientação para imigrantes sobre acesso aos sistemas de Saúde e Educação, além de promover oficinas, workshops, eventos e ações culturais.

Com o Centro de Referência e Atendimentos, passou a oferecer também oficinas para refugiados do ACNUR, orientação migratória, atendimento especializado em direitos e violações de direitos, atendimento a vítimas de violência, orientação sobre tráfico de pessoas, orientação sobre regularização de organizações não-governamentais e atendimento do Procon.

O espaço conta, ainda, com equipamentos do Banco do Povo, Acessa São Paulo, Espaço Brincar e Loja Social, com itens de vestuário recolhidos em doação na Campanha do Agasalho.

Para o secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania, a revitalização do CIC e a ampliação dos serviços oferecidos significam respeito à dignidade e corrobora a história da receptividade brasileira a imigrantes, ao longo da história. “Nossa identidade é construída a partir das diferenças e o governo do Estado atua sob o primado da dignidade da pessoa humana para melhorar a vida das pessoas”, afirmou Márcio Elias Rosa.

Na cerimônia, a Associação das Consulesas de São Paulo anunciou a doação de 350 dicionários francês-português para o CIC. A solenidade teve, ainda, benção ecumênica, a exibição de um vídeo da ACNUR sobre refugiados no mundo, e a apresentação do coral infantil de refugiados “Somos todos iguais”, além de desfile de moda de refugiados vestidos com peças confeccionadas no curso de estamparia ministrado no Centro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend