Bill Gates apresenta sanitário do futuro que não precisa de água ou saneamento

Falta de condições sanitárias e mau saneamento têm sido associados a doenças como diarreia ou cólera.

Da Redação
Com Lusa

O filantropo norte-americano Bill Gates apresentou nesta quarta-feira um vazo sanitário que não necessita de água ou ligação a sistemas de saneamento, transformando os dejetos em fertilizante, o que poderá reduzir a mortalidade infantil nos países mais pobres.

O fundador da Microsoft mostrou o novo modelo ao público em Pequim, numa exposição dedicada a novas soluções sanitárias, visando “reinventar as sanitas” e acelerar a adoção e comercialização de sistemas inovadores.

“Esta exposição apresenta, pela primeira vez, tecnologia e produtos de saneamento descentralizados e totalmente novos, e prontos a serem comercializados”, afirmou Bill Gates, em comunicado.

Este novo modelo, que não precisa de estar ligado a um sistema de saneamento ou de água e transforma os dejetos humanos em fertilizante, está a ser testado na cidade sul-africana de Durban, onde também estão a ser testados outros modelos, que se alimentam de energia solar, explicou Gates.

O multibilionário explicou que a rápida expansão destes novos produtos e sistemas de saneamento que não necessitam de estar conectados a nenhuma rede poderá reduzir drasticamente o número de mortos e o impacto da falta de higiene na saúde da população nos países mais pobres.

A fundação de Bill Gates e da sua mulher, Melinda Gates, gastou 200 milhões de dólares desde 2011 para promover a investigação e o desenvolvimento de tecnologia sanitária segura.

Segundo a Unicef, quase 900 milhões de pessoas não têm escolha senão fazer as suas necessidades ao ar livre. Só na Índia, estima-se que sejam 150 milhões.

A mesma fonte estima que 480.000 de crianças com idade inferior a cinco anos morrem todos anos de diarreia, muitas vezes por beberem água ou comerem comida contaminada pelos esgotos.

O Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, destacou que o saneamento é uma das prioridades para a sua organização, que se vai aliar com a Fundação Bill e Melinda Gates para levar instalações sanitárias seguras a todas as partes do mundo.

“Os sistemas que se podem difundir com rapidez e proporcionar um saneamento seguro e sustentável às comunidades são fundamentais para a qualidade de vida e desenvolvimento do capital humano”, afirmou Jim, citado no comunicado.

1 Comment

  1. Ele tem dinheiro para fazer propaganda, nós brasileiros que temos outras alternativas e mais sustentáveis ficamos nas mãos de talvez receber alguma ajuda. O Brasil tem inventos maravilhosos e criou suas formas que permitem tratar grandes volumes de esgoto, a uma fração do custo de todos os usuários desse sistema exposto, conheci isso de um cliente que faz análise química conosco. Pelo que sei falta é gestão pública e construtoras para usar esse sistema brasileiro em escala no saneamento. Me pergunto até hoje por que processos que fazem a oxidação catalítica avançada realmente não decolam no Brasil? Parece haver com o complexo brasileiro, tudo que é de fora é melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend