Ativista Greta Thunberg vence um milhão de euros de prêmio Gulbenkian para Humanidade

Da Redação
Com Lusa

A ativista Greta Thunberg venceu nesta segunda-feira a primeira edição do prêmio Gulbenkian para a Humanidade, no valor de um milhão de euros, que vão ser aplicados no combate às alterações climáticas.

Numa mensagem áudio dirigida à cerimônia de apresentação do prêmio, o presidente do júri e ex-Presidente da República Jorge Sampaio salientou que a adolescente sueca “conseguiu mobilizar as gerações mais novas para a causa do clima”.

Através da fundação com o seu nome, Greta Thunberg vai aplicar o dinheiro do prêmio em ações de combate às alterações climáticas, começando pela campanha SOS Amazonia, dedicado a ajudar as populações da Amazônia a enfrentarem a pandemia da covid-19, com 100 mil euros.

Outros 100 mil euros vão ser encaminhados para a Stop Ecocide Foundation, que pretende criar a figura criminal do “ecocídio” no caso de atentados em massa contra o meio ambiente e a natureza.

Amazônia

Com a doação, o Fridays for Future Brasil, por meio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), irá fortalecer ações nas regiões do Alto Rio Negro, Lábrea e Purus e comunidades de Manaus e entorno.

Os recursos doados por Greta vão se somar à campanha SOS Amazônia, do Fridays For Future Brasil, formado por jovens ativistas brasileiros, com o suporte da FAS, criada com o intuito de ajudar comunidades indígenas e populações tradicionais do território amazônico no combate à Covid-19. Contribuições podem ser feitas pelo site sosamazonia.fund, que já recebeu quase 250 mil reais de mais de 1.300 doadores.

No mês passado, o movimento Fridays for Future Brasil lançou, durante uma coletiva de imprensa com meios de comunicação do Brasil e do exterior, a campanha #SOSAmazonia, para direcionar recursos para comunidades ribeirinhas e indígenas remotas e vulneráveis com atendimento de saúde precário no estado do Amazonas.

A campanha é uma iniciativa de jovens ativistas brasileiros e internacionais criada com o intuito de ajudar comunidades tradicionais do território amazônico no combate à Covid-19. Por meio de um financiamento coletivo internacional, o objetivo é arrecadar R$ 1 milhão para a compra de itens básicos de higiene e alimentação e investimentos em equipamentos de saúde.

“As autoridades públicas da região emitiram um pedido de socorro ao mundo. Como ativistas da causa socioambiental, não poderíamos ignorar esse pedido. Sabemos que não podemos enfrentar a crise climática sem antes enfrentar a crise do coronavírus. Logo, se não ajudarmos as populações da Floresta Amazônica, estaremos permitindo que ambas a crises se desenvolvam. Nós precisamos escutar os cientistas, os médicos e as pessoas que estão sofrendo” traz a nota dos ativistas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: