Segunda, 26 de Junho de 2017 Mundo Lusiada no Facebook Mundo Lusiada no Twitter Mundo Lusiada no YouTube

Em São Paulo, Antonio Costa agradece luso-brasileiros e enumera pontos que marcaram o 10 de Junho

Por | 12 junho, 2017 as 5:55 pm | Nenhum comentário

Mundo Lusíada

O 10 de Junho no Theatro Municipal de São Paulo, com a presença do primeiro-ministro e do presidente de Portugal, assinalou o Dia de Portugal, Camões e Comunidades de forma única. A noite foi de aclamados discursos, de música portuguesa, e muitas fotos com a comitiva vinda de Portugal.

Abrindo os discursos da noite, antes da fala do presidente Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro Antonio Costa iniciou falando que Portugal é muito maior do que seu território. “É para mim uma profunda emoção começar as celebrações do Dia de Portugal no Porto, e continuar aqui estas celebrações em São Paulo, há 8 mil quilômetros de distância e graças a vossa presença continuar a sentir como se não tivesse saído de Portugal” disse Antonio Costa saudando a comunidade luso-brasileira.

Na figura do presidente do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira de SP, Antonio Almeida e Silva, saudou todos os demais dirigentes associativos presentes nesta noite. Na pessoa do Miguel Setas, presidente da Câmara de Comércio em São Paulo, saudou a comunidade empresarial, e de Nuno Rebelo de Sousa, presidente da Federação das Câmaras Portuguesas no Brasil e filho do presidente Marcelo Rebelo de Sousa, saudou todos os empreendedores portugueses no Brasil.

“Em nome do governo, muito obrigado por como prestigiam Portugal nestas terras do Brasil” declarou Antonio Costa trazendo alguns dos últimos avanços feitos em prol da comunidade no exterior, como o recém inaugurado Espaço do Cidadão em São Paulo, proporcionando acesso a 60 serviços diferentes. Também citou a importância de uma maior participação política dos emigrantes com a proposta de lei que prevê o recenseamento automático eleitoral.

O primeiro-ministro descreveu os sete momentos que marcam o 10 de Junho neste ano. O primeiro deles citado por Costa foi a promulgação da lei de nacionalidade que garante aos netos descendentes manter a nacionalidade portuguesa, uma aspiração aguardada pela comunidade. O segundo ponto citado foi o ato assinado em São Paulo para a instalação da Escola Portuguesa, “um velho sonho da comunidade portuguesa em São Paulo”. O terceiro ponto é a parceria, também assinada em São Paulo, para reconstrução do Museu da Língua Portuguesa que é “único” no mundo, referiu.

Continuando os pontos que marcam este 10 de Junho, Antonio Costa trouxe ainda a assinatura do apoio ao Real Gabinete Português de Leitura no Rio, assegurando a continuidade da instituição, sem deixar de citar o legado do ex-presidente e comendador Antonio Gomes da Costa que recentemente faleceu no Rio. O acordo se estende também para o Liceu Literário Português e a Real e Benemérita Caixa de Socorros D. Pedro V. Ainda, assinatura do acordo com a entrega ao Estado Português da posse da biblioteca do último chefe de Governo do Estado Novo, Marcelo Caetano, que na sequência da Revolução de 25 de Abril de 1974 se exilou em São Paulo e no Rio. Costa também nomeou a inauguração das novas instalações do Consulado no Palácio São Clemente no Rio.

Por fim, António Costa citou a viagem entre São Paulo e Rio que ainda seria feita a bordo do avião Embraer KC-390, com sua estrutura produzida em Portugal e montados no Brasil, equipamento de uso militar e civil “da maior importância” e um símbolo da cooperação bilateral.

Ao fim do seu discurso, o primeiro-ministro disse que nada substituiu o contato pessoal, daí a importância de estar junto da comunidade portuguesa. “Entendemos que é fundamental que este dia de Portugal, Camões e Comunidades seja também festejado junto de cada comunidade. Ano passado fizemos em Paris, este ano em São Paulo e no Rio. No outro ano [2018], nos Estados Unidos, e depois seguramente daremos continuidade a esta  nova tradição”.

Ao terminar com a universalidade dos portugueses, citou sua família e do presidente português. “Como disse Fernando Pessoa, em cada português não há só um português, há sempre um pouco de tudo. E de fato há essa universalidade, faz parte da nossa própria identidade. Por isso que em janeiro, ao fazer uma visita de estado à Índia visitei a terra do meu pai, e hoje aqui no Brasil, estamos na terra onde o presidente da República tem seu filho e também seus netos. É isso que no fundo somos Portugal”.

A noite do 10 de Junho em São Paulo, com a presença do presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Primeiro-Ministro, recebeu diversos representantes da comunidade portuguesa, além de empresários luso-brasileiros e muitos convidados para a noite de concerto da fadista Gisela João no Theatro Municipal.



+ Acessadas



 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
 
© 2011 Jornal Mundo Lusíada - RVR PROMOÇÕES E PUBLICIDADE LTDA. Todos os direitos reservados.
Assine - Fale Conosco - Publicidade